Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis da Bahia
/ quarta-feira, novembro 14, 2018
Destaques

Patrões continuam sem interesse de assinar Convenção Coletiva.

2.58Kviews

Informe da Campanha Salarial 2018/2019

Patrões continuam sem interesse de assinar Convenção Coletiva. Na negociação desta segunda, 13 de agosto, apresentaram proposta de jornada excessiva de trabalho e negociação individual com cada trabalhador.

As negociações, entre o Sinposba e o Sindicombustíveis, no Ministério Público do Trabalho- MPT, nesta segunda, 13 de agosto, não avançaram em nada para que a Campanha Salarial 2018/2019 chegue a um desfecho, com a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho-CCT. Ao contrário, o represente dos patrões apresentou as seguintes propostas:

1 – JORNADA EXCESSIVA DE TRABALHO DE 12X36 PARA TODOS OS TRABALHADORES DOS POSTOS. O que na opinião da Diretoria do Sinposba é um absurdo que compromete a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras, além de gerar um custo social enorme com o desemprego de muitos colegas de trabalho;

2- NEGOCIAÇÃO INDIVIDUAL – QUE A REDAÇÃO DA NOSSA CONVENÇÃO PERMITA QUE CADA PATRÃO POSSA NEGOCIAR COM CADA UM TRABALHADOR E TRABALHADORA.

Mais um absurdo proposto pelos péssimos patrões, acostumados a fraudar os direitos da nossa categoria, o que provocou o Sindicato, em 2010, a entrar na Justiça do Trabalho com mais de 400 Ações de Cumprimento da CCT, com diversas vitórias para os trabalhadores baianos.

Agora, em 2018, quando foi aprovada essa famigerada reforma trabalhista pelo governo ilegítimo de Temer, que só retira direitos e prejudica enormemente nossa possibilidade de aposentadoria, os mesmos patrões querem negociar diretamente com cada trabalhador, como se fossem jogadores de futebol, desrespeitando desavergonhadamente nossa Convenção Coletiva de Trabalho.

Se com nossa união da categoria e Convenção Coletiva, fazem o que fazem, imagine individualmente.

3 –  NÃO ESTABILIDADE PARA O DELEGADO SINDICALNossa CCT prevê a eleição de Delegados Sindicais por Região da Bahia, com estabilidade sindical, o que para os patrões seria descabido este direito. Mas para nós, da Diretoria do Sindicato, a estabilidade é mais do que necessária para proteger o companheiro ou companheira, eleita para defender os interesses coletivos da nossa categoria.

INTENSIFICAR A MOBILIZAÇÃO NOS POSTOS PARA DEMONSTRAR INSATISFAÇÃO

Para o presidente do Sinposba, Antonio do Lago, “os patrões a cada reunião debocham  e provocam nossa categoria nos limites mais perversos da Reforma Trabalhista, que defende a retira de direitos, terceirização em massa, prejuízo financeiro aos sindicatos, para que não possam combater os absurdos patronais com financiamento das lutas; e, sobretudo, querem promover a individualização dos trabalhadores com a divulgação de que não é necessária a sindicalização e nem a existência de Sindicatos de trabalhadores e trabalhadoras.

 Por isso precisamos dar resposta firmes com unidade de ação, nos mobilizando em cada local de trabalho, demonstrando nossa insatisfação diante do descaso dos patrões, que não apresentam uma valorização salarial digna para todos os profissionais, querem implantar a terceirização, jornada excessiva de trabalho, e instituir o “cada um por si, e Deus por todos”. “ Concluiu o presidente.

 

Deixe uma resposta