Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis da Bahia
/ domingo, maio 26, 2019
Destaques

Diretoria do Sinposba apoia Greve da Educação contra o corte de verbas e a Reforma da Previdência

67views

Presidente e diretores do Sinposba Participaram, na manhã desta quarta-feira, 15 de março, da Manifestação dos trabalhadores e trabalhadoras da educação, professores e alunos das Universidades Federais, Estaduais de todo o estado da Bahia, de Institutos Federais e Escolas Públicas, contra o corte de verbas da Educação, anunciado pelo Governo Federal,  e contra a Reforma da Previdência. 

A Greve ocorre em todo o Brasil, convocada pelas entidades representativas dos professores, estudantes, centrais sindicais e movimentos sociais mobilizados pela Frente Brasil Popular e Frente Brasil Sem Medo. O Ato político em Salvador começou no Campo Grande e seguiu em caminhada pela Avenida Sete, terminando na Praça Castro Alves.

Na Bahia, escolas públicas e particulares de Salvador amanheceram sem aula. A suspensão das atividades ocorre somente nesta quarta, como parte da ação nacional contra os bloqueios na educação e contra a reforma da Previdência. Estudantes e professores fizeram protesto no Centro da cidade. Segundo organizadores, eram 50 mil pessoas.

Um dia histórico para a Educação e o povo brasileiro

A greve nacional da Educação contra a reforma da Previdência e os cortes no orçamento das universidades anunciados pelo governo Bolsonaro, temperada por manifestações em todos os estados da federação e no DF, confirmou as mais otimistas expectativas dos seus organizadores e faz desta quarta-feira, 15 de maio, um dia histórico para o povo brasileiro. Ocorreram manifestações em pelo menos 116 cidades, segundo levantamento do G1.

A manhã nasceu agitada pelos atos contra o governo da extrema direita, convocados pelas entidades representativas dos professores, estudantes, centrais sindicais e movimentos sociais mobilizados pela Frente Brasil Popular e Frente Brasil Sem Medo. Em Belo Horizonte (MG) uma multidão estimada em 200 mil pessoas marchou até a Praça Raul Soares, palco da manifestação política em defesa das aposentadorias e das universidades.

Em Brasília, foram 50 mil. No Pará, milhares se reuniram no protesto realizado em Belém. Outras cidades do estado também foram animadas pela mobilização. Em São Paulo, secundaristas de escolas particulares iniciaram uma passeata às 6 horas, saindo de Higianólolis e percorrendo o centro da cidade até a Avenida Paulista para engrossar a grande manifestação convocada para a tarde (a partir das 14 horas) no vão do Masp.

Em Campinas (SP) cerca de 5 mil pessoas participavam da manifestação por volta das 11 horas. O ato em Ribeirão Preto (SP) também reuniu milhares. Em Salvador (BA) pelo menos 20 mil pessoas participaram da passeata que saiu da Casa do Campo Grande até a Praça Castro Alves. Em Fortaleza (CE) os protestos começaram às 5 horas com uma caminhada até a reitoria da Universidade Federal do Ceará.

Foto: Murilo Bereta

 

Deixe uma resposta