Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis da Bahia
/ domingo, setembro 15, 2019
Notícias

Carteiros em greve por tempo indeterminado no Brasil

42views

Trabalhadores e trabalhadoras da categoria estão parados contra a privatização da empresa e a redução de salários e benefícios. A greve foi decretada na noite desta terça-feira (10) em assembleias realizadas em diferentes estados do país.

Desprezando proposta de conciliação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), a direção da empresa não quer renovar a Convenção Coletiva de Trabalho e está determinada a arrochar os salários e suprimir dezenas de cláusulas, destruindo conquistas da categoria e abrindo caminho para a entrega da estatal à iniciativa privada.

Os Correios foram incluídos no mês passado no programa de privatizações de Jair Bolsonaro. Os dirigentes da empesa, sob orientação do governo, manifestam radical intransigência no propósito de impor o retrocesso nas relações com os funcionários, que do outro lado estão dispostos a resistir contra as perdas e contra a privatização.

O reajuste salarial com reposição da inflação do período é outro ponto da pauta de reivindicações da. A greve é geral e todos os 36 sindicatos de trabalhadores dos Correios aderiram à greve.

“A decisão foi uma exigência para defender os direitos conquistados em anos de lutas, os salários, os empregos, a estatal pública e o sustento da família”, afirmou em nota a Findect.

“Mesmo com a mediação do TST, a empresa não recebe os representantes dos trabalhadores há mais de 40 dias e se nega a negociar, pois insiste em reduzir benefícios que rebaixariam ainda mais o salário da categoria, que já é o pior entre todas as estatais”, disse a Fentect (Federação Interestadual da categoria).

A Greve dos Correios é Nacional!

Assembleias dos Trabalhadores dos Correios em São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru, Tocantins, Maranhão e na maioria dos Estados do país decretaram GREVE GERAL da categoria a partir das 22h00 dessa terça 10 de setembro. A CULPA É DO GOVERNO E DA DIREÇÃO DA ECT, QUE SE NEGARAM A NEGOCIAR E QUEREM ESFOLAR A CATEGORIA!

O Sintect-SP e sua Federação (Findect) tiveram papel crucial na construção da unificação total na luta da categoria que se configurou na noite desta terça-feira 10 de setembro. Em todo o país a categoria ecetista se mostrou consciente da gravidade da situação que enfrenta e decretou Greve por tempo indeterminado.

A decisão foi uma exigência para defender os direitos conquistados em anos de lutas, os salários, os empregos, a estatal pública e o sustento da família.

A direção dos Correios, a mando do governo se negou a negociar com os trabalhadores. O próprio TST denunciou isso. Sua Vice-presidência convocou a empresa para negociar, mas ela se negou.

A intenção do governo e da direção da ECT é acabar com os benefícios da categoria. Por isso se negam a negociar o Acordo Coletivo. Os trabalhadores dos Correios foram empurrados a uma encruzilhada histórica: ou lutam ou perdem o que conquistaram em anos de batalhas duríssimas!

A direção da ECT e o governo querem reduzir radicalmente salários e benefícios para diminuir custos e privatizar os Correios. Entregar o setor postal a empresários loucos por lucro. Jogar no lixo o atendimento a todos os cidadãos, a segurança nacional envolvida nas operações, a integração nacional promovida pelos Correios!

Infelizmente não restou alternativa. Para manter nosso Acordo Coletivo, repor as perdas aos salários e manter os empregos vamos ter que lutar. E tem que ser todo mundo junto e unido em cada setor e nacionalmente!

O papel é de cada companheiro e companheira. Se esperar só pelo Sindicato, vai ficar difícil parar todo mundo. Ir aos setores, conversar e convencer cada trabalhador é tarefa de cada um de nós!

www.ctb.org.br

Deixe uma resposta