Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis da Bahia
/ quinta-feira, outubro 17, 2019
Notícias

Falta solidariedade – ‘Mais de 70% das mulheres com câncer de mama são abandonadas pelos maridos’

108views

O tema da conversa é Outubro Rosa. O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum no Brasil e no mundo depois do câncer de pele. Outubro é o mês de conscientização sobre a doença.

Participam da conversa no Estúdio CBN, a ginecologista, obstetra, mastologista, integrante da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia e da Sociedade Brasileira de Mastologia, Fernanda Torras; a fundadora da ONG Mamas do Amor, Fernanda Chahin de Aguiar; e a fundadora e presidente da ONG Cabelegria, Mariana Robrahn. Elas falaram sobre diagnóstico, doença, tratamento, autoestima, depressão e a importância do apoio para enfrentar a doença.

A ginecologista Fernanda Torras explica que o câncer de mama é uma desordem das células de origem mamária. ‘Ele é um câncer de detecção precoce e com alta taxa cura, mas se a gente perde o momento de detecção precoce, ele é grave, traz óbito e é a principal causa de morte entre mulheres jovens no mundo por câncer. Geralmente, ele é descoberto por um nódulo indolor’.

Fernanda Chahin, fundadora da ONG Mamas do Amor, descobriu o câncer em uma mamografia. O exame identificou um nódulo em cada mama. A detecção foi rápida e o tratamento cirúrgico. Ela conta que precisou retirar as duas mamas. Fernanda disse que contou com o apoio da família e a ajuda de amigos. Já sem as mamas e com baixa autoestima, ela desenvolveu uma prótese externa. A prótese de alpiste foi uma solução rápida e econômica. Fernanda conta que a ONG surgiu da necessidade de compartilhar essa ideia com outras mulheres. ‘As Mamas do Amor são para um período de transição, mas a reconstrução é muito importante’.

A fundadora e presidente da ONG Cabelegria, Mariana Robrahn, detalhou o objetivo do projeto. Ela explicou que a Cabelegria arrecada cabelo, confecciona peruca e doa essas perucas de cabelos naturais para pacientes que estejam passando por tratamento da quimioterapia.

https://cbn.globoradio.globo.com

Deixe uma resposta