Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis da Bahia
/ quinta-feira, agosto 16, 2018

Antonio Lago de Souza é frentista desde 1988. Sempre teve participação ativa na Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA nas empresas em que atuou, Hiperposto Paes Mendonça e Gás On Line, buscando constantemente um ambiente de trabalho saudável para todos os trabalhadores e trabalhadoras.

Diante da exploração, falta de direitos e valorização dos trabalhadores dos postos de combustíveis pelos patrões, Antonio do Lago uniu-se a “Oposição Sindical Frentista”, e em 2001, com a vitória da Chapa “Alternativa Classista CUT” foi eleito, pela primeira vez, dirigente sindical no cargo de delegado representante junto à Federação, Em outras eleições fez parte da chapa “Frentistas Classistas da CTB” e foi eleito secretário de Relações Institucionais, secretário de Saúde por duas gestões e presidente na atual gestão, eleito pela chapa “Mais União Trabalho e Luta”.

Como secretário de Relações Institucionais teve papel destacado no trabalho da entidade, no encaminhamento das Ações de Cumprimento e dando-lhe visibilidade junto a órgãos públicos federais e estaduais, como o Ministério do Trabalho, através da Superintendência de Regional do Trabalho – SRT e Ministério Público do Trabalho.

Como secretário de Saúde participou ativamente na conquista de leis que beneficiaram toda a categoria, como o Anexo II da NR9, portaria 1109 do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, Dia Estadual dos Profissionais em Postos –  21 de janeiro.

O presidente do Sinposba, Antonio do Lago, é também diretor da Federação Nacional dos Empregados em Posto de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo – Fenepospetro e membro da bancada dos trabalhadores da Comissão Nacional do Benzeno – CNBZ.

Para ele “ser sindicalista é ter compromisso com a luta em defesa dos direitos dos trabalhadores e a busca incansável por melhores condições de trabalho, um meio ambiente de trabalho saudável, salários dignos e avançar nas conquistas de mais benefícios sociais, com valorização do trabalho, dos trabalhadores e trabalhadoras; porque juntos somos fortes!”.